Manifestações-Digitais_v01

A Internet é muito mais que apenas redes sociais, sites de pesquisa e portais de notícias, ela é o reflexo de quem está por trás das telas. Por ser uma rede que conecta o mundo, é fácil encontrar pessoas espalhadas pelo planeta que se identifiquem com seus gostos, opiniões e lutas. É a partir destes encontros via internet que se formam as manifestações digitais.

Provavelmente você se lembra da campanha #VemPraRua que levou milhares de pessoas as ruas do Brasil em 2013 ou, mais recentemente, a #MeuPrimeiroAssedio, que tomou conta do Twitter e a #NãoFecheMinhaEscola, contra a reorganização escolar em São Paulo. O que elas têm em comum? Todas foram manifestações que tiveram início das redes sociais.

Com eventos criados no Facebook, pessoas do Brasil inteiro se reuniram, não só na internet, mas nos principais pontos do país, todos unidos por um mesmo propósito. Quem não pode comparecer nestes eventos, auxiliava os manifestantes através de mensagens e hashtags, orientando e atualizando as informações em tempo real. No caso do #MeuPrimeiroAssedio, criada pela organização Think Olga, a hashtag invadiu as redes sociais com mulheres contando suas experiências de assédio e conscientizando o mundo em relação a mudanças deste comportamento, tornando-se até matéria em jornais de diversos países.

A internet e redes sociais, quando aliadas a um propósito, são o foco de poder das pessoas que estão por trás dela. Basta saber usá-las, conhecer cada um de seus recursos e organizá-las.

Kamila Muniz
Postado por

Publicitária com foco em Marketing Digital, é palestrante de temas como conteúdo, engajamento e planejamento. Ama viajar na maionese e SP afora, não para em casa e cerca formigas com a mão.

Mais postagens